Nos últimos anos, com os orçamentos cada vez mais apertados, fazer certas tarefas em casa tornou-se numa das opções mais viáveis. São muitas as famílias que tratam dos problemas domésticos, sem precisarem de recorrer a profissionais. É claro que há certos trabalhos que não correm bem, mas há outros que pode fazer sem provocar danos, nomeadamente pintar a casa em Lisboa.

Se mora na capital, sabe, à partida, que pintar a casa em Lisboa pode tornar-se bastante mais fácil, se contratar uma empresa de pintura conceituada, mas isso, claro, seria mais dispendioso. Assim sendo, e como tenciono facilitar-lhe o trabalho e incentivá-lo a fazer esta tarefa por si, deixo-lhe 5 ideias que deve seguir antes de se aventurar sozinho no mundo das tintas.

Pintar a casa requer material de muita qualidade

Já deve ter reparado que o mercado está repleto de material de pintura. Os produtos são mais do que muitos, uns melhores do que outros. Por isso, compare bem os preços e assegure-se da qualidade da marca que escolhe. Procure por testemunhos de outros clientes em blogues, fóruns ou nas redes sociais.

 Escolha os pincéis ou os rolos de acordo com a superfície que vai pintar

Uma das coisas que pode determinar o sucesso de uma pintura é a escolha correcta do pincel ou do rolo, que tem que ser de acordo com o tipo de superfície. Por exemplo, os rolos são os mais indicados para a pintura de paredes e do tecto, por se tratarem de superfícies mais amplas. Pelo contrário, se pretender pintar zonas mais pequenas, apertadas e que precisem de detalhes minuciosos, procure o pincel mais adequado para o fazer. Pintar a casa em Lisboa exige que saiba muito bem quais são as áreas que deseja dar nova cor.

Adopte medidas de segurança

É também muito importante adoptar medidas de segurança quando pintar a casa. Proteja todos os móveis da habitação, a sua cama, os sofás, etc., para que não fiquem sujos. Proteja-se também com roupas velhas e, se tiver crianças muito pequenas consigo, certifique-se que ficam longe das tintas.

Limpe bem as superfícies antes de as pintar

Para garantir que não haja defeitos nas superfícies pintadas, limpe-as bem antes de passar com o pincel ou com o rolo. Lembre-se que, caso a zona a pintar já esteja suja, pode não ficar disfarçada com a tinta. E não, não custa nada, até porque pode usar o método tradicional e sempre infalível: “detergente e água”.

Proteja os rodapés e as dobradiças

Pintar a casa também necessita de certos cuidados. Proteja os seus rodapés (com uma fita adesiva, por exemplo), pois podem cair gotas de tinta indesejadas, e, caso queira pintar as portas, tenha atenção às dobradiças. Se dar-lhes cor também está nos seus planos, coloque um pouco de vaselina em cada uma delas, para que depois possa abrir e fechar qualquer porta sem ouvir estalidos de tinta.

Leu tudo com atenção? Garanto-lhe que, se seguir tudo à risca, ficará mais do que apto(a) para pintar a casa em Lisboa sem qualquer tipo de falhas!

Já tentou pintar a casa em Lisboa sozinho e correu-lhe mal? Tenha calma, é normal que fiquem algumas imperfeições, sobretudo se foi a primeira vez que se aventurou nestas andanças. E sempre pode voltar a tentar, tendo a consciência que, desta vez, deve seguir alguns parâmetros importantes para garantir o sucesso do trabalho.

Pense um pouco e responda a estas perguntas para si e de forma muito honesta:

Comprou materiais de qualidade?

Confirmou a credibilidade e a qualidade da marca da tinta?

Protegeu o seu mobiliário quando começou a pintar a casa em Lisboa?

Escolheu bem o tipo de pincel/rolo, de acordo com a dimensão da superfície?

 

Pois é, se respondeu negativamente à maioria das perguntas, então já sabe que não fez tudo da forma mais correcta. Pintar a casa não é assim tão difícil e nem sequer existem regras específicas para o fazer, apenas alguns ensinamentos básicos que devem ser seguidos por todos. Eis alguns:

Os pincéis, os rolos e as tintas têm que ser de muita qualidade, nem que, para isso, tenha que pagar mais um pouco;

Cada pincel tem uma função diferente. Veja bem o que precisa de pintar e adeqúe o tipo de pintura ao material;

Escolha cores que equilibrem todo o ambiente do imóvel. Pintar a casa com cores diferentes em cada divisão ou com cores muito pesadas em locais onde passa grande parte do tempo, só vai aumentar o seu tédio e aborrecimento;

Forre a mobília que estiver exposta às tintas, tendo especial cuidado com as dobradiças das portas e com os rodapés, caso não tenha interesse em dar-lhes cor;

Vê como é fácil? Mas não me fico por aqui, porque ainda o/a vou ajudar a pintar as suas sancas! Estas são normalmente feitas em gesso e podem, ou não, ser elaboradas. É claro que, quanto mais elaboradas forem, mais complexa se torna a pintura, mas existem pontos-chave importantes que podem facilitar a tarefa:

Pinte sempre as sancas com cores neutras. Deve existir um contraste equilibrado entre a cor das sancas e a cor restante (do tecto e das paredes). O branco e o cinzento são, por norma, as cores preferidas;

Proteja as paredes e o tecto antes de começar a pintá-las, caso contrário, volta a ter que pintar a casa novamente;

Como as sancas costumam ser de gesso, lixe-as muito bem e retire, de seguida, todo o pó acumulado. Veja também se existe alguma imperfeição. Se for o caso, coloque um pouco de massa e deixe secar, voltando a lixar tudo e a retirar o pó em excesso;

Dê duas demãos de tinta nas sancas, pois uma não costuma ser suficiente;

Pintar a casa em Lisboa e em qualquer cidade do mundo tem uma determinada sequência: comece sempre por pintar o tecto das divisões, passe para as sancas, de seguida para as paredes, depois para portas, chegue então às janelas e termine nos rodapés.

Simples, certo? Agora sim, pode começar já a pensar em refazer tudo aquilo que não deu certo, porque, com estas dicas, pintar a casa em Lisboa vai ser a tarefa mais fácil que fará na sua vida!