Truques para pintar a casa, incluindo as sancas, sem falhas nem danos

Já tentou pintar a casa em Lisboa sozinho e correu-lhe mal? Tenha calma, é normal que fiquem algumas imperfeições, sobretudo se foi a primeira vez que se aventurou nestas andanças. E sempre pode voltar a tentar, tendo a consciência que, desta vez, deve seguir alguns parâmetros importantes para garantir o sucesso do trabalho.

Pense um pouco e responda a estas perguntas para si e de forma muito honesta:

Comprou materiais de qualidade?

Confirmou a credibilidade e a qualidade da marca da tinta?

Protegeu o seu mobiliário quando começou a pintar a casa em Lisboa?

Escolheu bem o tipo de pincel/rolo, de acordo com a dimensão da superfície?

 

Pois é, se respondeu negativamente à maioria das perguntas, então já sabe que não fez tudo da forma mais correcta. Pintar a casa não é assim tão difícil e nem sequer existem regras específicas para o fazer, apenas alguns ensinamentos básicos que devem ser seguidos por todos. Eis alguns:

Os pincéis, os rolos e as tintas têm que ser de muita qualidade, nem que, para isso, tenha que pagar mais um pouco;

Cada pincel tem uma função diferente. Veja bem o que precisa de pintar e adeqúe o tipo de pintura ao material;

Escolha cores que equilibrem todo o ambiente do imóvel. Pintar a casa com cores diferentes em cada divisão ou com cores muito pesadas em locais onde passa grande parte do tempo, só vai aumentar o seu tédio e aborrecimento;

Forre a mobília que estiver exposta às tintas, tendo especial cuidado com as dobradiças das portas e com os rodapés, caso não tenha interesse em dar-lhes cor;

Vê como é fácil? Mas não me fico por aqui, porque ainda o/a vou ajudar a pintar as suas sancas! Estas são normalmente feitas em gesso e podem, ou não, ser elaboradas. É claro que, quanto mais elaboradas forem, mais complexa se torna a pintura, mas existem pontos-chave importantes que podem facilitar a tarefa:

Pinte sempre as sancas com cores neutras. Deve existir um contraste equilibrado entre a cor das sancas e a cor restante (do tecto e das paredes). O branco e o cinzento são, por norma, as cores preferidas;

Proteja as paredes e o tecto antes de começar a pintá-las, caso contrário, volta a ter que pintar a casa novamente;

Como as sancas costumam ser de gesso, lixe-as muito bem e retire, de seguida, todo o pó acumulado. Veja também se existe alguma imperfeição. Se for o caso, coloque um pouco de massa e deixe secar, voltando a lixar tudo e a retirar o pó em excesso;

Dê duas demãos de tinta nas sancas, pois uma não costuma ser suficiente;

Pintar a casa em Lisboa e em qualquer cidade do mundo tem uma determinada sequência: comece sempre por pintar o tecto das divisões, passe para as sancas, de seguida para as paredes, depois para portas, chegue então às janelas e termine nos rodapés.

Simples, certo? Agora sim, pode começar já a pensar em refazer tudo aquilo que não deu certo, porque, com estas dicas, pintar a casa em Lisboa vai ser a tarefa mais fácil que fará na sua vida!